Conecte-se conosco

Ações

Banco BRB (BSLI3) vai pagar R$ 45,5 milhões em JCP

Filipe Andrade

Publicado

em

Banco BRB (BSLI3) vai pagar R$ 45,5 milhões em JCP

O banco BRB (BSLI3) divulgou fato relevante sobre a aprovação do pagamento de JCP no valor total de R$ 45,5 milhões. Além disso, a reunião do Conselho de Administração realizada em 05 de setembro de 2022 aprovou a deliberação referentes aos resultados do exercício do 2T22.

Bem como, o valor unitário por tipo e classe de ação será de R$ 0,122655464 por ação ON e R$ 0,134921011 por ação PN. Ainda mais, o anúncio foi feito pelo Diretora de Relações com Investidores, Cynthia Judite Perciano Borges.

Os Juros Sobre Capital Próprio (JCP) é uma das formas de uma empresa distribuir o lucro entre os seus acionistas, titulares ou sócios. Entretanto, haverá retenção de 15% de imposto de renda na fonte.

Banco BRB (BSLI3) informa prazo para pagamentos

Segundo a companhia, a data COM para ter direito aos proventos é 09 de setembro. Entretanto, aqueles que comprarem no dia 12 de setembro estarão negociando as ações na data EX.

Ainda mais, o Banco de Brasília informou que o pagamento será realizado em 20 de setembro de 2022. O valor é bruto e não isento de imposto de renda, conforme a legislação vigente.

Além do banco BRB as empresas, Eletrobras (ELET6)Porto Seguro (PSSA3)Vivo (VIVT3) e Direcional (DIRR3), também vão distribuir proventos aos acionistas.

Cancelamento de nova emissão de ações

O BRB – Banco de Brasília (BSLI3) informou ao mercado esta manhã a cancela de emissão de ações junto a B3. Concomitante a isso, o banco também postergou requisição para ocupar o Nível de Governança 1 na B3. A companhia considerou que a “deterioração das condições de mercado” vista nos últimos meses configura um cenário desfavorável para a emissão.

Em setembro de 2021, a companhia já havia protocolado pedido de aumento de capital. O objetivo era aumentar sua circulação e conseguir o Nível 1 de governança da B3. Este nível garante maior confiabilidade para as empresas listadas, o que agrega seu preço final. Uma companhia que possua Nível 1 na B3 precisa de, necessariamente, 25% do seu capital listado em bolsa.

Continue lendo