Conecte-se conosco

Sem categoria

Bolsa subiu hoje 22-03 – Cielo e Porto Seguro respondem CVM

Publicado

em

Bolsa subiu hoje, 22-03

A bolsa subiu hoje (22-03) 1,07%, atingindo os 117 pontos e superando o topo dos 116 pontos, no qual vinha apresentando resistência. O movimento é positivo apesar das quedas de Petrobrás (PETR3), de 0,44%, e de Vale (VALE3), de 2,08%. Enquanto isso ativos da bolsa como Cielo (CIEL3) e Porto Seguro (PSSA4) respondem questionamentos da CVM.

Os setores bancários foram os principais responsáveis por pela alta do Ibovespa. Itaú (ITUB4), Bradesco (BBDC4) e B3 (B3SA3) tiveram aumentos, respectivamente, de 1,7%, 1,43% e 5,48%. Os setores possuem grande participação no índice, auxiliando na alta.

Principais altas da bolsa hoje

A Eneva (ENEV3), a Americanas (AMER3) e a Méliuz (CASH3) foram os destaques positivos do dia, com aumentos de 7,32%, 6,97% e 6,05%. A Eneva teve resultado elogioso pelos analistas após a divulgação de seu informe de resultados do 4T21, com margem Ebitda recorde e processo de incorporação com a Focus.

A ata da reunião do Copom hoje indica regulação dos índices SELIC até o final do ano, dando margem a interpretação de uma manutenção da SELIC a 12,5%. A estabilidade do índice direciona as compras no mercado de varejo, fazendo com que Americanas tenha subido consideravelmente no período. Magalu (MGLU3), Mercado Livre (MELI34) e Via Varejo (VIIA3) também apresentaram altas: 1,4%, 3,63%, e 4,02%.

O aumento de consumo e o fim do ciclo da alta da taxa de juros também impactam a Méliuz, que trabalha com operações de crédito e cashback. O barateamento do juros, previsto para ocorrer com a redução das taxas, volta a tornar a operação da companhia atrativa.

Cielo (CIEL3) e Porto Seguro (PSSA3) respondem notificação

Duas empresas com destaque positivo nos últimos dias publicaram resposta a comunicado feito pela CVM: A Cielo (CIEL3) e a Porto Seguro (PSSA3). As respostas foram publicadas no after market.

A companhia de pagamentos Cielo respondeu sobre dúvida envolvendo a volatilidade do preço das ações nos últimos 10 pregões. Segundo a CVM, a volatilidade – que teria sido da ordem de 14% – soava estranha:

“Tendo em vista as últimas oscilações registradas com os valores mobiliários de emissão dessa empresa, o número de negócios e a quantidade negociada vimos solicitar que seja informado, até 22/03/2022, se há algum fato do conhecimento de V.S.a. que possa justificá-los” dizia a carta.

Oscilação no período foi da ordem de 14% com uma média de 21 mil negociações, valor considerado médio em termos de mercado financeiro. A empresa informou que não estava ciente de nenhum uso de informação privilegiada para operações.

Já a Porto Seguro foi notificada por ter apresentado dados de grande proporção no jornal Estado de S. Paulo sobre as pretensões da companhia. Segundo a notícia, a seguradora buscaria tornar o setor de serviço responsável por 10% de suas operações – hoje o segmento corresponde a 1%. A CVM foi do entendimento que a informação deveria ser comunicada em fato relevante, e não por meio de jornal.

Continue lendo