Conecte-se conosco

Nacional

Shein quer inovar e ser mais brasileira com 2 mil fornecedores

Filipe Andrade

Publicado

em

Shein quer inovar e ser mais brasileira com 2 mil fornecedores

A Shein, conhecida no Brasil por oferecer roupas importadas a preços competitivos em comparação com varejistas locais, está empenhada em adotar uma abordagem mais brasileira.

Após operar no país por aproximadamente dois anos, a empresa chinesa revelou um plano de investimento de R$ 750 milhões. Ela construiu uma extensa rede de fornecedores e está focada na produção local. Nesse sentido, a empresa está adaptando-se às particularidades da indústria nacional e ao design das peças para se adequarem aos corpos brasileiros.

Embora a empresa não tenha divulgado números específicos sobre as vendas de produtos fabricados por parceiros no Brasil, Fabiana Magalhães, diretora de produção local da Shein no Brasil, afirmou que as vendas superaram as expectativas.

A estrutura de produção no Brasil foi oficialmente inaugurada em abril deste ano, com metas ambiciosas. Ainda mais, até 2026, a Shein planeja que 85% dos produtos vendidos no país sejam produzidos no Brasil. Do mesmo modo, seja por seus próprios fornecedores (1P) ou pelos revendedores de seu marketplace brasileiro (3P), que foi lançado seis meses atrás.

Estrutura que a Shein utiliza no país

A Shein Brasil já conta com 336 fábricas fornecedoras cadastradas em 12 estados. O objetivo é ter 2 mil fornecedores até 2026. Desde o anúncio da produção local, mais de 4 mil modelos foram fabricados pelos parceiros.

Entre os produtos de destaque nas coleções brasileiras estão pijamas a R$ 36, calças jeans entre R$ 90 e R$ 130, e um vestido que custa R$ 52. A empresa tem uma cultura de custo-benefício.

A Shein Brasil possui um perfil no Instagram com mais de 10 milhões de seguidores e lançou uma webserie que mostra os bastidores da criação e produção das peças brasileiras. O sucesso das coleções é determinado por algoritmos, que instruem os fornecedores de acordo com a demanda dos produtos.

Embora o prazo de entrega dos produtos seja de 30 a 40 dias, o sistema é capaz de identificar o sucesso ou fracasso de uma peça em apenas uma semana. A empresa planeja se tornar o principal hub da região da América Latina, exportando peças brasileiras para outros países da região.

Atualmente, a produção nacional está focada na moda feminina, mas a Shein Brasil planeja lançar coleções masculinas em breve para atingir suas metas futuras.

Continue lendo