Conecte-se conosco

Ações

Petrobras paga 2ª parcela dos dividendos na sexta. Saiba os valores

Filipe Andrade

Publicado

em

Petrobras paga 2ª parcela dos dividendos na sexta. Saiba os valores

A Petrobras (PETR4) anunciou na noite de segunda-feira, 12, que na próxima sexta-feira, 16, realizará o pagamento da segunda parcela dos dividendos complementares referentes ao exercício de 2022. Com isso, esse pagamento será baseado na posição acionária de 27 de abril deste ano.

Ainda mais, o valor a ser pago por ação ordinária e preferencial, já corrigido pela taxa Selic, será de R$ 0,92692932. Do mesmo modo, é importante salientar que a Petrobras informou que os dividendos não reclamados dentro do prazo de três anos, contados a partir da data de início do pagamento, prescreverão e reverterão em favor da empresa.

É possível conquistar sua liberdade financeira em até 5 anos? Baixe nossa planilha gratuita e simule o que você precisa fazer para viver apenas do seus investimentosClique aqui e comece a transformar sua vida financeira hoje mesmo!

Petrobras e a política de distribuição de dividendos

Nesse sentido, essa segunda parcela dos dividendos complementares representa mais uma distribuição de lucros aos acionistas da Petrobras. Ainda mais, a empresa tem adotado uma política de distribuição de dividendos como forma de remunerar seus acionistas. Além disso, ela visa compartilhar os resultados financeiros alcançados.

A decisão de efetuar o pagamento nessa data específica demonstra o compromisso da Petrobras em cumprir com suas obrigações e garantir a transparência e regularidade nos pagamentos aos seus acionistas.

Paridade de preços: Companhia faz importante anúncio

Petrobras (PETR4) fez um importante anúncio nesta terça-feira (16). Nesse sentido, o anúncio refere-se ao fim da paridade de preços do petróleo e dos combustíveis derivados, como gasolina e diesel, em relação ao dólar e ao mercado internacional.

De acordo com a regra em vigor desde 2016, os preços desses produtos no mercado interno acompanham as oscilações internacionais. Ainda mais, não há intervenção do governo para garantir preços menores. No entanto, a Petrobras anunciou o fim desse mecanismo automático.

Continue lendo