Conecte-se conosco

Nacional

Isenção de impostos: Governo recua e Haddad faz anúncio

Filipe Andrade

Publicado

em

Compras internacionais terão imposto zero. Veja as regras!

Após a polêmica gerada pelo anúncio da taxação de compras internacionais, o governo federal decidiu recuar e manter a isenção de impostos para remessas internacionais de até US$ 50 entre pessoas físicas. O ministro da Fazenda, Fernando Haddad, confirmou a informação. O secretário da Receita Federal, Robinson Barreirinhas, teria indicado que o governo desistiria de editar uma Medida Provisória para acabar com a isenção.

Haddad explicou que o presidente Luiz Inácio Lula da Silva pressionou a Fazenda a recuar da ideia da Medida Provisória. Ainda mais, o governo agora defende que a Receita amplie a fiscalização por meio de normas próprias. Ele também afirmou que a isenção não vai deixar de existir para pessoa física, mas que o governo pretende coibir o contrabando. Segundo ele, isso prejudica todas as demais empresas.

Chega de se preocupar com as contas no final do mês! Com nossa planilha exclusiva, você terá em mãos uma ferramenta poderosa para organizar suas finanças e alcançar a liberdade financeira. Com ela, você poderá planejar seus investimentos, controlar seus gastos e ter uma visão clara das suas receitas e despesas. Não perca mais tempo e baixe agora mesmo nossa planilha gratuita. Clique aqui e comece a transformar sua vida financeira hoje mesmo!

Isenção de impostos para empresa asiáticas

Algumas empresas, como a Shopee e a Aliexpress, foram citadas por Haddad como apoiadoras da posição do governo. Elas concordam com a regulação nos termos do que o Ministério da Fazenda pretende. Ainda mais, elas consideram a prática de importar produtos do exterior sem pagar impostos uma concorrência desleal.

As empresas asiáticas são acusadas de enviar compras internacionais como se fossem pessoas físicas e também de dividir um pedido de um mesmo consumidor em vários pacotes ou declarar um valor mais baixo para a mercadoria. Essas estratégias permitem que elas não ultrapassem a cota de US$ 50 e não paguem tributos.

O fim da isenção de impostos entre pessoas físicas havia sido anunciado pelo governo na semana passada, para coibir a brecha utilizada pelos sites internacionais. Para isso, seria editada uma Medida Provisória para acabar com a regra e também para dar maior poder de fiscalização à Receita. Porém, diante da repercussão negativa da notícia, o presidente Lula pressionou a Fazenda a recuar da ideia da Medida Provisória.

Em resumo, o governo federal recuou e decidiu manter a isenção para remessas internacionais de até US$ 50 entre pessoas físicas, e agora pretende coibir o contrabando por meio da ampliação da fiscalização da Receita Federal. A decisão foi tomada após a polêmica gerada pelo anúncio da taxação de compras internacionais e depois que o presidente Lula pressionou a Fazenda a recuar da ideia da Medida Provisória.

Mercado Livre é líder do e-commerce no Brasil

As empresas estrangeiras Mercado Livre, a Shopee e a Amazon estão dominando o e-commerce brasileiro, segundo pesquisa da Conversion. Além disso, a pesquisa mapeou a quantidade de acessos dos e-commerces de janeiro até agosto de 2022, identificando que as marcas internacionais se destacam da concorrência brasileira.

Nesse sentido, a empresa argentina Mercado Livre registrou 13,8% do total de visitas, já gigante chinesa Shopee têm 10,1%. Com isso, fechando o top 3 a norte-americana Amazon possui 6,8% dos acessos. Juntos, eles somaram cerca de 700 milhões de acessos únicos só no mês de agosto.

Segundo a Conversion, esses acessos representam 30% de todo o tráfego do comércio eletrônico brasileiro.

Continue lendo