Conecte-se conosco

Educação Financeira

Por que os Fundos Imobiliários (FIIs) atingiram o recorde de investidores?

Avatar photo

Publicado

em

Por que os Fundos Imobiliários (FIIs) atingiram o recorde de investidores no mês de setembro?

Nos últimos meses a procura por FIIs atingiu o maior número de investidores no Brasil. Mesmo com uma taxa de juros a 13,75%, por que investidores têm buscado cada vez mais este tipo de investimento?

O que são os Fundos Imobiliários (FIIs) e por que estes investimentos atingiram o recorde de CPFs na bolsa?

Os Fundos Imobiliários ou FIIs são instrumentos de investimentos formados por grupos de pessoas com o objetivo de ter retornos com empreendimentos imobiliários.

Os principais tipos de FIIs são:

  1. Fundos de Tijolo (que investem em prédios, shoppings, galpões de logística, hospitais, dentre outros);
  2. Fundos de Papel (que investem em rendas fixas lastreadas ao setor imobiliário, como LCIs, CRIs e outros;
  3. Fundos de Fundos (também chamados de FOFs, esses fundos investem em cotas de outros FIIs).

Usualmente, investidores de FIIs têm o objetivo de rentabilizar seu capital por meio da valorização das cotas dos fundos e receber dividendos simultaneamente.

Uma das principais vantagens dos FIIs é a isenção de imposto de renda nestes dividendos, que muitas vezes são recebidos mensalmente.

Leia a matéria sobre renda passiva do Mercado Hoje.

Adicionalmente, os FIIs têm a característica de serem menos arriscados do que muitos investimentos em renda variável, uma vez que as cotas destes fundos tendem a variar menos do que ações, opções e etc.

Neste sentido, com alguns FIIs pagando dividendos superiores a 1% ao mês, sem imposto de renda, o número de investidores destes ativos chegaram a marca de quase 2 milhões em setembro.

Hoje, de acordo com a B3, aproximadamente 75% dos investidores de FIIs são pessoas físicas e contabilizam 68% do volume negociado destes ativos.

Estamos em um bom momento para investir em FIIs?

Felipe Estevam, sócio fundador da SITS Capital, comenta:

“Em primeiro lugar, é essencial entender o seu perfil de risco antes de alocar recursos em fundos imobiliários.

Apesar de terem uma volatilidade menor do que de ações (em geral), investidores podem ter perdas consideráveis com este tipo de investimento.

No caso, enxergo que existe um prêmio na curva de juros e isso faz com que este tipo de investimento fique atrativo. Em outras palavras, podemos dizer que o mercado enxerga que os juros tendem a cair, o que incentivaria o investimento no setor imobiliário.

No entanto, para que os FIIs performem positivamente, é necessário que o Brasil volte a um cenário benéfico para ativos de risco.

No caso, esperamos ver o país com uma melhor visibilidade fiscal e taxas de juros menores do que estamos agora.

Neste sentido, no processo de alocação de capital, é preciso entender que os FIIs também fazem parte da renda variável e, por tanto, sofrem oscilações diárias.

Se pegarmos os anos de 2020 e 2021, por exemplo, o IFIX (índice que mede os principais FIIs) obteve queda de, aproximadamente, 13,5%.

Infelizmente, ainda vemos resquícios da crise do COVID19, com inflações generalizadas por diversos locais do mundo, a guerra entre Rússia e Ucrânia, que ainda pode causar sérios impactos na Europa e ainda estamos vivendo um cenário nebuloso de juros no Brasil.

Sendo assim, na montagem de uma carteira, nossos especialistas da SITS Capital buscam entender de perto o grau de risco que nossos clientes estão dispostos a tomar e, gradualmente, alocar seus recursos em ativos de risco, caso seja adequado para o investidor.

Um segundo fator que pode fazer com que haja volatilidade nos FIIs (especialmente no curto prazo), é o segundo turno das eleições para presidente.

No momento ainda não há clareza sobre os próximos passos a serem tomados em relação à complexa situação econômica do Brasil em 2023, em nenhuma das opções (Lula ou Bolsonaro).”

Felipe, mesmo com um cenário incerto, por que os Fundos Imobiliários (FIIs) atingiram o recorde de investidores?

“Naturalmente, os dividendos mensais são um grande atrativo para investidores. Hoje é possível obter uma carteira diversificada de FIIs que remunera 1% ao mês de dividendos aos investidores, então diria que esse possa ser o principal fator.

Além disso, como citei anteriormente, se houver uma ancoragem da inflação e uma estabilização fiscal do país, é possível que os juros voltem a patamares de um dígito. Neste sentido, todo setor imobiliário iria se beneficiar, incluindo os FIIs.”

O que você falaria para investidores com o objetivo de entrar em FIIs pela primeira vez?

“Com certeza não faça o dever de casa sozinho! Existem boas casas de análise e ótimos escritórios de investimentos (que não cobram pela assessoria) para auxiliar investidores querendo ingressar neste mercado.

Adicionalmente, com as incertezas atuais, aportaria os recursos aos poucos e focando em um prazo mais longo.

Em suma, apesar do Brasil estar relativamente bem quando comparado com o resto do mundo, nossa economia também é afetada por crises internacionais.

Sendo assim, é preciso observar de perto o que acontece no mundo inteiro.

Nosso time da SITS Capital esta à disposição para avaliar carteiras de investidores que já investem em FIIs ou para auxiliar quem deseja iniciar neste tipo de ativo.

Basta entrar em contato conosco pelo nosso site ou por Whatsapp/ Telefone – (31) 3191 7305.”

Conheça a carteira de Fundos Imobiliários do Banco SAFRA, clicando aqui.

Continue lendo