Conecte-se conosco

Notícias

Entenda porque o Cruzeiro pediu recuperação judicial

Filipe Andrade

Publicado

em

escudos cruzeiro

Diversas empresas que passam por dificuldade financeira acionam este instrumento legal com o objetivo de se reerguer, com isso, entenda porque o Cruzeiro pediu recuperação judicial (RJ).

Primeiramente, para saber o porquê do Cruzeiro ter pedido RJ é necessário entender o processo deste instrumento e como serão os próximos passos do clube em relação à aprovação do pedido.

Leia aqui a decisão sobre o pedido de RJ do Cruzeiro.

Como funciona o processo de RJ

De acordo com o portal contábeis, veja para que serve a RJ:

A recuperação judicial é um meio utilizado por empresas para evitar que sejam levadas à falência. O processo permite que companhias renegociem as dívidas acumuladas em um período de crise recuperando as atividades e evitando o fechamento, demissões e falta de pagamentos.

A recuperação judicial tem como objetivo principal apresentar um plano de recuperação que mostre que a empresa, mesmo diante das dificuldades, consegue se reerguer, caso consiga renegociar suas dívidas para continuar ativa com a produção.

Ao solicitar uma recuperação judicial, a empresa adquire uma moratória, ou seja, o pagamento aos credores é adiado ou suspenso, para que a empresa foque em pagar funcionários, matéria-prima, e produtos essenciais para o funcionamento do negócio.

contabeis.com.br

De forma simplificada, a empresa ou entidade que identifica que não será capaz de arcar com as suas dívidas pode recorrer a justiça com o objetivo de negociar suas responsabilidades financeiras com os seus credores.

Após isso, o Cruzeiro terá 6 meses para montar um plano de recuperação judicial, que deverá constar como o time irá pagar as suas dívidas e se equalizar financeiramente.

Caso o plano do Cruzeiro seja aprovado em Assembléia, o time será monitorizado por um administrador judicial, que irá verificar mensalmente se o clube está seguindo com o plano aprovado.

No caso do Cruzeiro, entenda porque o time pediu recuperação judicial

Para entendedores do futebol não é surpresa que grande parte dos times brasileiros vivem situações de stress financeiro, onde seus faturamentos não são o suficiente para arcar com seus custos e despesas.

Nesse sentido, a história com o Cruzeiro não foi diferente (um dos times com maiores dívidas do Brasil – veja os maiores devedores aqui).

Nas Demonstrações Financeiras de 2021 (apresentadas em 2022), o time foi capaz de reduz os seus custos e aumentar seu faturamento (quando comparado com o ano de 2020). No entanto, o fator que mais chamou a atenção foi a dívida de, aproximadamente, R$ 1 bilhão.

Sendo assim, com uma dívida dessa magnitude e jogando a série B do campeonato brasileiro (que gera muito menos receita do que o clube estaria recebendo na séria A), o valor de suas obrigações financeiras levou o time a fazer o pedido de RJ.

Veja abaixo os principais indicadores financeiros do Cruzeiro em 2021

  • Receita Bruta Futebol Profissional e Base – R$ 97 milhões
  • Receita com Venda de Atletas 2021 – R$ 20 milhôes
  • Custos de Futebol Profissional e Base – R$ 135 milhões
  • Despesas Administrativas e Provisões – R$ 52 milhões
  • Baixa de Atletas – R$ 21 milhões
  • Dívidas de Curto Prazo (até 1 ano): R$ 360 milhões
  • Dívidas de Longo Prazo (mais de 1 ano): R$ 609 milhões

Ainda, de acordo com o clube, os principais fatores negativos para o ano foram:

  • R$ 60 milhões com gastos de pessoal do futebol profissional;
  • R$ 32 milhões como provisões para contingências;
  • R$ 28 milhões de custo de acordos/indenizações de processos judiciais;
  • R$ 25 milhões de atualização de juros e empréstimos;

Veja o DRE e Balanço Patrimonial do clube referente a 2021

DRE Cruzeiro
Balanço Patrimonial Cruzeiro

Quem são os principais credores do Cruzeiro

  1. Banco BMG: R$ 98 milhões
  2. Fred (ex-jogador): R$ 48 milhões
  3. Marcelo Moreno (atacante): R$ R$ 25 milhões
  4. Fábio (goleiro): R$ 21 milhões
  5. Dedé (zagueiro): R$ 17 milhões
  6. Supermercados BH: R$ 16 milhões
  7. Dodô (lateral): R$ 15 milhões
  8. Minas Arena: R$ 13 milhões
  9. Thiago Neves (meia): R$ 10 milhões
  10. Léo (zagueiro): R$ 10 milhões

O pedido de RJ também veio como condição para a compra de Ronaldo Fenômeno

Como novo acionista do Cruzeiro, Ronaldo solicitou que o pedido de RJ fosse realizado pelo clube.

De acordo com fontes do clube, o novo acionista da SAF solicitou o pedido de RJ para que a sangria de caixa diminuísse e que o Cruzeiro pudesse renegociar suas dívidas diretamente com os credores, evitando o repasse total de 20% (estipulado por lei) da receita do clube.

Continue lendo