Conecte-se conosco

Ações

Ibovespa cai aos 103 pontos e zera ganhos no ano

Publicado

em

Alta do ibovespa

O índice já vinha apresentando quedas desde as novas propostas de alta de juros nacional e internacional, impactando setores como varejo e tecnologia

O Ibovespa zera ganhos no ano hoje após queda de 1,79%, chegando aos 103 mil pontos. Além de zerar os ganhos, o Ibovespa passou a mirar os 101 pontos, maior baixa do ano. Acompanhando índices mundo afora, a renda variável tem reagido mal a alta de juros globais que tem acometido mercados.

As ações de Petrobrás (PETR3, PETR4), Vale (VALE3) e Itaú (ITUB4) foram as principais quedas que impactaram o índice. Reagindo ao mercado internacional e a uma insegurança cada vez maior, commodities em geral tiveram quedas. Enquanto a petroleira teve quedas de 3,84% (PETR3) e 2,78% (PETR4), apesar dos altos dividendos, a Vale caiu 4%.

Entre os bancos, Itaú (ITUB4) apresentou também uma queda acentuada, de 1,43%. Por outro lado, Bradesco (BBDC4) conseguiu vingar um bom desempenho, tendo alta de 1,60%.

Quedas em varejo e tecnologia são as maiores

Entre as maiores quedas do dia, podemos destacar Locaweb (LWSA3), que fechou o dia com queda de 14,97%, Petz (PETZ3), com queda de 11,03%, Magazine Luiza (MGLU3), com queda de 8,84% e TOTVS (TOTS3), com queda de 8,81%.

Empresas de tecnologia tiveram desempenho negativo durante toda a tarde. Com grandes dívidas e um crescimento exponencial, as famosas empresas “unicórnio” se consolidaram como referência de ganhos rápidos em pouco tempo. Entretanto, conforme as taxas de juros sobem mundo afora, também as dívidas ficam cada vez mais caras.

Por outro lado, empresas do varejo, como Magazine Luiza e Petz, tiveram baixas devido ao mesmo fator: juros. Com aumento da inflação, o consumo diminui, e consequentemente, o faturamento dessas empresas.

Enquanto isso companhias como Petroleum Rio (PRIO3) e 3R Petróleo (RRRP3) também tiveram quedas devido a baixa das commodities. Entretanto, diferente da Petrobrás, suas quedas foram mais acentuadas: 8,11% e 9,07%, respectivamente.

Continue lendo