Conecte-se conosco

Mercado

Embraer tem carteira de aeronaves em patamar pré-pandemia

Publicado

em

Embraer tem maior carteira de aeronaves

A Embraer (EMBR3) comunicou hoje (21) ao mercado os novos valores de produção de aeronaves no 4T21. A empresa totalizou 55 jatos no 4T21, com 141 no total do ano. Em 31 de dezembro, a carteira de pedidos firmes totalizava US$ 17,0 bilhões, maior valor desde o segundo trimestre de 2018

Os valores contabilizam algumas das recentes Já estão contabilizados, nesta produção, o contrato reduzido com a Força Aérea Brasileira (FAB), que reduziu de 28 para 22 o número de entregas com a fabricante de aviões.

Pedidos firmes na carteira

Como fabricante de bens móveis de alto custo, a Embraer baseia seus lucros nos pedidos firmes. Esses são pedidos com compromisso de compra e venda, ou seja, fabricações “sob demanda”. Alguns contratos do tipo foram os com a NetJets, Inc. para até 100 jatos Phenom 300 adicionais, no valor de US$ 1,2 bilhão, e os com a Azorra para 20 pedidos firmes e 30 direitos de compra de E190/195-E2 no valor total do negócio de US$3.9 bilhões.

A carteira de pedidos da Embraer para aviões da série E2 acumula um total de 50 pedidos firmes em 2021. Sem nenhum cancelamento, a família de aeronaves é uma das mais sólidas no mercado hoje.

Aeronaves não são único produto da Embraer

Recentemente a empresa firmou contrato com a Rolls-Royce e a Widerøe para parcerias. O contrato, assim como as novas investidas para a construção de 200 carros voadores ajudam a flexibilizar a receita da empresa.

Em 10 de fevereiro a empresa anunciou a redução do contrato com a FAB de 28 aeronaves KC-390 Millennium para 22. No entanto, no segmento de defesa e segurança, a empresa apresentou o novo sistema de segurança SABER M200 Vigilante. Embora a perda do contrato tenha impactado na performance da empresa, o novo produto promete uma presença mais sólida no mercado de segurança e tecnologia aérea.

Continue lendo