Mercado Hoje

Plano de maior tributação nos EUA afeta a bolsa brasileira

Estados Unidos

Após um dia de alta volatilidade, o Ibovespa, que operou no positivo até as 14:00 de quinta-feira (22/04), afundou com notícias vindas do exterior. A razão da queda foi atribuída, principalmente, ao plano do presidente americano de aumentar impostos para a classe mais rica no país.

De acordo com a Bloomberg, Joe Biden irá propor quase dobrar a tributação sobre ganhos de capital para os mais ricos (foco em aproximadamente 0,3% da população), para 39,6%. Com isso, combinado à maior taxa sobre a renda de investimentos, os impostos federais para os investidores podem chegar a 43,4%.

Nesse sentido, o Ibovespa encerrou o dia com 0,58% de queda, voltando abaixo dos 120 mil pontos.

A mesma notícia também virou os mercados nos EUA, com os 3 principais índices do país (NASDAQ C./ S&P 500/ DJIA) fechando em aproximadamente 0,9% de queda.

Além disso, refletindo o forte pacote de investimento em infraestrutura americano, o dólar segue em tendência de queda e fechou em -1,85% contra o real, marcando R$5,45.

Já na Europa, o EURO STOXX teve alta de 0,96%, seguindo o otimismo com os fortes resultados corporativos somados ao ânimo sobre a manutenção das principais taxas de juros e a permanência de estímulos monetários.

O BCE (Banco Central Europeu) informou que o programa de recompra de títulos e ativos permanecerá agressivo até, pelo menos, março de 2022 ou até quando a crise for superada.

Voltando ao Brasil, o presidente Jair Bolsonaro sancionou o Orçamento para 2021, incluindo parte das emendas parlamentares e abrindo um “segundo teto de gastos” para despesas relacionadas ao combate contra a pandemia.

O plano permitiu manter um montante de, aproximadamente, 17 bilhões de reais adicionais e foi visto com sentimentos mistos entre investidores e economistas.

Na prática, a criação deste “segundo teto de gastos”, feito para evitar um possível crime de responsabilidade fiscal por parte do Executivo, teve menor impacto na contenção de gastos da União.

Sendo assim, o receio em relação ao tamanho da dívida brasileira afeta negativamente a visão de investidores para o longo prazo.

Em contrapartida, a inclusão de parte das emendas do Congresso poderá ajudar o presidente com futuros planos relacionados à propostas de reformas estruturantes.

Passada a página sobre o Orçamento de 2021, as pautas de destaque para a economia brasileira voltam ao cronograma de vacinação e à CPI da COVID.

Em relação ao cronograma, espera-se que uma média de 1 milhão de vacinados/dia seja atingida em maio, acelerando a recuperação da atividade econômica do país.

Sobre a CPI da COVID, existe receio sobre os desdobramentos das investigações, que podem acarretar em mais uma crise político-econômica.

Finalmente, um estudo realizado pelo JP Morgan alertou sobre o risco de colapso da principal criptomoeda mundial.

De acordo com o estudo, houve uma perda do ímpeto do Bitcoin, que sofreu mais uma queda acentuada nesta quinta-feira (-8,26%), e terá maior dificuldade para voltar à marca dos 60 mil dólares.

Apesar das fortes oscilações naturais do ativo, o banco americano realça que uma força compradora maior do que as ocorridas nas últimas quedas será necessária para que não haja uma grande perda de valor da moeda.

No dia de hoje (23/04), os mercados europeus amanhecem mistos, com o EURO STOXX operando em leve queda, de 0,14%, às 6:00.

Já o mercado futuro americano trabalha em correção após a queda de ontem, com destaque para o índice S&P 500, com alta de 0,26%.

Atenção para a prévia do PMI (índice de manufatura) americano, às 10:45.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.