Conecte-se conosco

Nacional

Carros que podem sair de linha: Veja 10 modelos

Filipe Andrade

Publicado

em

Carros que podem sair de linha: Veja 10 modelos

O final do ano sempre traz especulações sobre carros que podem ser descontinuados. Raramente, as fabricantes anunciam com antecedência carros que podem sair de linha, preferindo edições limitadas finais, como as lançadas por Volks, Fiat e Renault nos últimos anos para Kombi, Gol, Uno e Sandero.

Muitas vezes, modelos são retirados sem aviso prévio, como ocorreu com o Renault Captur e o Voyage, sedã da Volks. O fechamento da fábrica da Ford na Bahia, que produzia Ka e EcoSport, também pegou o mercado de surpresa em 2021.

Ainda mais, as fabricantes não declaram com antecedência a descontinuidade de um modelo, tornando as baixas vendas um indicativo. Exceto por carros de alto valor ou de nicho, veículos com baixa demanda, especialmente os fabricados no Brasil, podem não justificar a produção.

Apresentamos agora dez carros que podem sair de linha

  1. Chevrolet Cruze sedã;
  2. Chevrolet Cruze hatch;
  3. Chevrolet Camaro;
  4. Chevrolet Equinox;
  5. Toyota Yaris sedã;
  6. Toyota Yaris hatch;
  7. Renault Stepway;
  8. Renault Logan;
  9. Nissan Kicks;
  10. Citroën C4 Cactus.

Mas, afinal, é vantajoso para o consumidor adquirir um carro que está prestes a ser descontinuado? Segundo Cassio Pagliarini, sócio da Bright Consulting, depende do veículo. Nesse sentido, se for de baixo volume de produção ou caro e com pouco tempo no mercado, a depreciação e a disponibilidade de peças podem ser desvantajosas.

Por outro lado, se o veículo teve grande produção e tempo significativo no Brasil, negociar um bom preço pode ser interessante, especialmente considerando a redução de preço, IPVA e seguro. No entanto, é importante considerar que as peças não ficarão mais baratas e, em alguns casos, podem até se tornar mais caras.

Apesar das considerações racionais, a compra de um carro em fim de linha pode ser um bom negócio, principalmente para quem pretende mantê-lo por mais tempo. O diretor de desenvolvimento de negócios da consultoria Jato Dynamics do Brasil, Milad Kalume Neto, destaca que, para consumidores mais racionais, veículos prestes a sair de linha podem ser uma opção interessante, enquanto os que trocam frequentemente podem sofrer mais com a depreciação. Ele ressalta que, embora existam percentuais médios de depreciação, as variações são grandes, e não há regra absoluta.

Continue lendo