Conecte-se conosco

Nacional

Desemprego caiu para menos de 10%, diz IBGE

Publicado

em

Desemprego caiu

O IBGE divulgou nesta quinta-feira (30) que a taxa de desemprego caiu 9,8% no trimestre encerrado em maio atingindo 10,6 milhões de brasileiros. Além disso, é a menor taxa registrada no Brasil desde o trimestre encerrado em janeiro de 2016. Já para os trimestres com encerramento em maio, é a mais baixa desde 2015, quando foi de 8,3%.

Adicionalmente, é a primeira vez em mais de 6 anos que o desemprego deixa de rodar na casa dos 2 dígitos.

Este resultado foi muito melhor que o esperado pelo mercado, que tinha a expectativa de uma queda de 10,5% para 10,2%.

Entretanto, o número de brasileiros trabalhando, que são 97,5 milhões, é o maior da série histórica, que foi iniciada em 2012, e cresceu 2,4% na comparação trimestral e 10,6% na anual.

Do mesmo modo, são cerca de 2,3 milhão de pessoas ocupadas a mais em três meses e 9,4 milhões em um ano.

Os dados foram divulgados pela Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua) que é o índice oficial do IBGE.

Desemprego caiu segundo o CAGED

Brasil criou 277 mil vagas de emprego no mês de maio de 2022 segundo dados do Caged divulgados nesta terça feira (28). Além disso, a expectativa do mercado era de 192.750 novas vagas CLT criadas no mês passado.

Ainda mais, as 277.018 vagas criadas são 196.966 a mais em comparação ao mês de abril de 2022.

Os dados, divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência, é 40% maior que o de abril (197,4 mil vagas) e ficou 4% acima do saldo de maio de 2021 (266,4 mil). Do mesmo modo, o número de brasileiros com emprego de carteira assinada subiu 0,67% no mês, para 41.729.858.

Recessão Econômica Mundial pode estar próxima

Uma recessão econômica mundial pode estar mais próxima do que parece.

Pelo menos, essa é a opinião de alguns executivos de grandes bancos e empresas ao redor do mundo.

Após chuvas de dinheiro inundarem diversas economias no mundo, é esperado que ocorram consequências financeiras quando os estímulos sejam completamente retirados pelos governos.

Continue lendo