Conecte-se conosco

Mercado

Aquisições reduzem fortuna de bilionário de Minas, Rubens Menin

Publicado

em

Rubens Menin, bilionário de Minas Gerais, na lista da Forbes

Rubens Menin Teixeira viu seu patrimônio cair de U$ 2,2 bi para U$ 1,2 bi em um ano

Com o lançamento da sua edição anual de bilionários, a revista Forbes elencou alguns velhos e novos nomes à lista. Dentre os nomes na lista, o bilionário de Minas Gerais, Rubens Menin Teixeira, se destacou com uma queda brusca de U$ 1 bi, quase saindo do ranking esse ano. O que motivou essa queda no patrimônio do diretor da MRV Engenharia (MRVE3)? Confira a seguir!

Aquisições milionárias

Dentre as aquisições do empresário, algumas se destacam, como a compra da Radio Itatiaia, em MG, que girou em torno de R$ 112 milhões. Além dela, diversas vinícolas em Portugal foram compradas no decorrer do último ano, ampliando a diversificação de capital de Teixeira. Com 66 anos, o bilionário não cessa as atividades e segue desenvolvendo novos negócios, mesmo que isso comprometa parte de seu capital.

Além dessas, o bilionário também é conhecido como mecenas do Clube Atlético Mineiro. Entre suas muitas benfeitorias ao time, a cessão do terreno onde está sendo construído o estádio do Galo, a Arena MRV.

Banco Inter (BIDI11) entre suas criações

Outra empresa listada em bolsa é o Banco Inter. Embora tenha amargado perdas hoje, o banco segue estratégia de aquisições similar a do fundador, tendo consolidado maior presença nos Estados Unidos. É um dos grandes bancos que têm apostado na digitalização de serviços para fidelizar os clientes. Através disso, ela compete com empresas de peso, como Nubank (NUBR34), XP (XPBR34) e BTG Pactual (BPAC11).

A queda do Banco Inter, que chegou a ser avaliado em R$ 70 bi, e hoje gira em torno de R$ 14 bi também reforçou a diminuição do patrimônio de Menin. Essa oscilação não corresponde a perda de geração de capital, mas a desvalorização das ações no mercado.

Outros bilionários na lista

Dois novos bilionários brasileiros na lista foram Pedro Franceschi e Henrique Dubugrass. Os brasileiros conseguiram a posição depois de levar a Brex ao patamar de empresa bilionária nos Estados Unidos. A Brex é uma empresa estadunidense de pagamento e cartões de crédito, oferecendo soluções financeiras para empresas.

Além deles, alguns são nomes famosos. Este ano, Eduardo Saverin, co-fundador da Meta (FBOK34), antigo Facebook perdeu o primeiro lugar para Jorge Paulo Lemann. Investidor da 3G e da In ABEV, Lemann é um dos bilionários mais tradicionais e recorrentes na lista da Forbes.

Continue lendo