Conecte-se conosco

Nacional

LinkedIn muda política de vagas depois de pressão do mercado

Publicado

em

LinkedIn muda política de vagas

A rede social da Microsoft (MSFT34), LinkedIn, mudou recentemente sua política de vagas, permitindo que vagas afirmativas fossem ofertadas pela plataforma. A mudança foi anunciada por Milton Beck, diretor geral de operações do LinkedIn das Américas em seu perfil na rede social na tarde desta terça-feira, 29.

No dia 19/03 a empresa havia bloqueado uma publicação que anunciava vagas exclusivas para pessoas indígenas pelo Centro de Análise da Liberdade e do Autoritarismo (Laut). O bloqueio provocou reações de indignação de parte da comunidade e de grandes empresas, como a Natura (NTCO3), que se posicionaram contrárias a postura.

O Procon de São Paulo havia notificado a empresa no dia 23/03, quarta-feira. Segundo o comunicado, seria inconstitucional barrar a divulgação de vagas com cotas. A decisão se apoia em determinações do Supremo Tribunal Federal (STF) e do Ministério Público do Trabalho (MPT): em 2020, as empresas Magazine Luiza (MGLU3) e Bayer haviam criado vagas inclusivas (vagas cujo mote era para negros e pardos) que foram criticadas por alguns por serem “inconstitucionais” ao promoverem desigualdade de oportunidades.

Segundo a política de vagas do LinkedIn, era vedada a criação de vagas com quaisquer discriminação. No entanto, o entendimento da empresa é de que um anúncio inclusivo – isto é, um anúncio que oferta vagas para grupos minoritários – tende a ser o mesmo que um anúncio discriminatório por excluir grupos privilegiados.

Esse entendimento difere de pareceres jurídicos como a Lei de Cotas, que entende que grupos historicamente oprimidos possuem estruturalmente menos chances de ingressarem em certas posições. A partir disso, políticas que reservem vagas para grupos minoritários são apoiadas por promoverem a diversidade.

Em nota, o perfil oficial afirmou: “Entendemos que em alguns países, como o Brasil, a legislação permite que empregadores apliquem esses critérios em seus processos de seleção. Revisitamos regularmente nossas políticas para garantir que apoiamos a diversidade e a inclusão de candidatos no LinkedIn e, consequentemente, no mercado de trabalho”.

Continue lendo