Conecte-se conosco

Ações

Amazon: split de 20 para 1 é anunciado e empresa imita gigantes tech

Publicado

em

Caixa de entrega representando o split das ações da Amazon

A Amazon (Nasdaq: AMZN / B3: AMZO34) anunciou neste fim de semana um split na proporção de 20 para 1 de suas ações na bolsa americana. O movimento visa diluir o preço e aumentar a volatilidade das ações no mercado. O conselho diretor também aprovou U$ 10 bi de recompra de ações, sem prazo definido. Movimento é semelhante ao de grupos como Alphabet (Nasdaq: GOOGL / B3: GOGL34) e Tesla Motors (Nasdaq: TSLA / B3: TSLA34).

Na bolsa brasileira, o BDR AMZO34 movimentou um grande volume após o anúncio do dia 9. As ações, que no começo do dia custavam R$ 87,17 subiram a R$ 93,87 no final do pregão com um aumento no volume de negociações. O desdobramento é o segundo desde 2020, quando as ações foram divididas na proporção 1:78.

Recompra de ações da Amazon

O conselho diretor também autorizou a recompra de ações comuns da empresa no valor de U$ 10 bi. O valor complementa uma autorização anterior de 2016 de U$ 5 bi e visa trazer maior valorização das ações após o seu split, enquanto aumenta o controle acionário da empresa.

A estratégia ocorre ao mesmo tempo que críticas são feitas sobre o baixo salário pago aos funcionários. No mês passado, a companhia avisou seus funcionários que dobraria o valor de investimento em salário. Funcionários da Amazon também são remunerados com ações, fazendo com que o movimento aumente seu patrimônio.

Split da Amazon é movimento comum

A Amazon não é a primeira das grandes empresas de tech a realizar um split para aumentar a atratividade de suas ações. Empresas como Google (GOGL34), Tesla (TSLA34) e Apple (AAPL34) já realizaram movimentos similares no passado conforme suas ações se valorizam. A estratégia atrai muitos investidores de menor calibre nos Estados Unidos, onde investidores pessoas físicas estão em maior volume.

Segundo a empresa, no Brasil a nova proporção dos BDR’s será de 1:157 frações.

Continue lendo