Mercado Hoje

Ibovespa cai com possível intervenção do governo nos combustíveis

Nesta sexta-feira 29/10, o Ibovespa, principal índice de ações da bolsa de valores brasileira, fechou em queda de 2,09%. Nesse sentido, a notícia que o governo poderia intervir na política de preços dos combustíveis, gerou preocupações nos investidores.

Além disso, os destaques positivos de sexta-feira ficaram por conta de Minerva Foods (BEEF3), Marfrig (MRFG3) e JBS (JBSS3). Ainda mais,as ações da Alpargatas (ALPA4) e Banco Inter (BIDI11) foram o destaque negativo com queda de mais de 10% de ambas as ações.

Os índices americanos Dow Jones, S&P500 e Nasdaq fecharam em alta de 0,25%, 0,19% e 0,33% respectivamente, com todos os índices alcançando máximas históricas.

O dólar fechou em R$5,62, alta de 0,37% frente ao real, com investidores preocupados com a questão fiscal no país.

1. Mercados globais

Hoje os mercados europeus amanhecem positivos com o EURO STOXX em alta de 0,63% às 09:00. Do mesmo, o mercado acompanha as reuniões da COP26 da ONU em Glasgow, na Escócia, que vai discutir ações globais sobre emissões de carbono.

Nos EUA, os mercados futuros operam positivos, com o DJIA em alta de 0,43% e o índice NASDAQ sobe de 0,37%.

Na China, a bolsa de Shangai fechou em leve queda de 0,08%, com o índice PMI chinês de outubro, abaixo das expectativas, o que demonstra desaceleração na economia do país.

2. Sobre o COVID

Mais de 280,3 milhões de vacinas foram aplicadas até o dia 31/10 no Brasil, com número médio de mortes abaixo de 500 pelo vigésimo sétimo dia consecutivo e os números de novos casos em tendência de leve alta. Adicionalmente, 54,88% da população brasileira recebeu a segunda dose ou vacina de dose única.

3. Notícias importantes de hoje

A empresa BK Brasil (BKBR3), divulgou fato relevante informando que, acordou com a Vinci Partners para cancelar a aquisição da operação da rede de pizzarias Domino’s.

A CVC (CVCB3) informou que finalizou a aquisição de 40% remanescentes do capital da Ola, empresa especializada em viagens na Argentina, passando a deter 100% da companhia.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.