Mercado Hoje

Ibovespa fecha em alta puxado por ações do setor de varejo

Nesta quarta-feira, 06/10, o Ibovespa, principal índice de ações da bolsa de valores brasileira, fechou em leve alta de 0,09%. O índice foi puxado pelas ações do setor de varejo, mesmo após divulgação de dados ruins do setor, que recuou 3,1% em agosto.

Além disso, os destaques positivos de quarta-feira ficaram por conta de B2W Digital (AMER3), Rumo SA (RAIL3) e Magazine Luiza (MGLU3). O destaque negativo ficou por conta de Braskem (BRKM5) que fechou em queda de 4,49%.

Os índices americanos Dow Jones, S&P500 e Nasdaq fecharam em alta de 0,30%, 0,41% e 0,47 respectivamente. Além disso, um possível acordo nos EUA para suspender temporariamente o teto da dívida pública nos Estados Unidos animou os mercados.

O dólar fechou em R$5,48, leve alta de 0,02% frente ao real, mas no dia a moeda chegou a ser cotado a R$ 5,53.

Mercados globais:

Hoje os mercados europeus amanhecem negativos com o EURO STOXX em queda de 1,64% às 09:00. Do mesmo modo, a Rússia tranquilizou os países europeus dizendo ser um fornecedor confiável e que trabalhará para estabilizar o mercado europeu de energia.

Nos EUA, os mercados futuros operam positivos, com o DJIA em alta de 0,89% e o índice NASDAQ subindo 1,22%.

Na China, a bolsa de Shangai não abriu devido a um feriado chinês que vai de sexta (01/10) até 7 de outubro.

Sobre o COVID:

Mais de 246,9 milhões de vacinas foram aplicadas até o dia 06/09 no Brasil, com número médio de mortes abaixo de 500 pelo terceiro dia consecutivo e os números de novos casos em tendência de queda. Adicionalmente, 45,25% da população brasileira recebeu a segunda dose ou vacina de dose única.

Notícias importantes de hoje:

A Raízen (RAIZ4) anunciou a compra de ativos de geração de energia do Grupo Gera, que atua com projetos de geração distribuída no Brasil, em movimento para ampliar o portfólio em renováveis.

A B3 notificou a Saraiva (SLED3) para que tome “medidas cabíveis” de forma para que a ação volte para um valor acima de R$ 1. Ainda assim, nenhuma ação pode passar mais de 30 pregões consecutivos cotada a centavos.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do Portal UAI.